Domingo, 10 de Junho de 2007

Retrato

Ai! a minha máquina de lavar

Ouve a filha lamentar

Que sorte minha pouca!

O INEM Nandinho

Mete-se logo ao caminho

Põe-na a lavar e estende a roupa

 

 Dá a camisa que traz no corpo

É verdade o que lhes digo

Sempre pronto a enterrar um morto

Mas,nunca enterrou ninguém vivo

 

Talha zeripelas e o bicho

Não cobra nada por icho

Também não é colectado

À LIn.Fá.Fló.Clem e Cina

Leva-lhes o carro à oficina

E deixa-lhes o dele emprestado

 

Não há ninguém quanto a mim

Que não tenha a sua tentação

E até o maior santo peca

E de a tudo dizer sim

Também não sabe dizer não

A uma boa cervejeca

 

Não tem vez pra ficar doente

E pra ele, a Deus, pedimos ajuda

Pois se este santo falta à gente

Não há outro que nos acuda!

  A d`amora azeitona

 

 

publicado por kumyxao às 16:24
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Bodas de prata

. ...

. 10 de Julho de 1956

. ...

. Sozinho em Casa

. sonhos

. Era

. ...

. O dia daquela noite

. Public...

.arquivos

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds