Sábado, 19 de Maio de 2007

O Rio

O vale nem é profundo

E através do seu fundo

Corre um rio incolor

e transparente que por mor,

das margens que verdeja.

Vai tudo enchendo de cor

e o Liz e o Ave d'inveja!

 

Ah! pudera eu ter escrito.

estes rios,com pena d'àgua pura

mas, oh! a que tanto lonjura,

como eu os queria, já os hei visto!

 

Quero saber p'ra onde vais.

Rio que passas à minha porta

e da alegria que já não me dás mais

feito que estás natureza de vida morta.

  d`amora azeitona

publicado por kumyxao às 17:55
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Bodas de prata

. ...

. 10 de Julho de 1956

. ...

. Sozinho em Casa

. sonhos

. Era

. ...

. O dia daquela noite

. Public...

.arquivos

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds